1 de maio de 2007

1 de Maio


Existem dias em que acordo com vontade de ser útil. Hoje foi um desses dias.
O meu Pai tinha uma tia, irmã da minha avó paterna, por quem nutro uma amizade muito forte e recíproca. Esta senhora, apesar de ter filhas, não pode contar sempre com o apoio delas e é uma pessoa que sofreu muito na vida. Teve dois dos filhos deficientes (um já faleceu) o outro está num Lar, uma vez que não tem condições físicas para cuidar dele, viu duas das irmãs falecer. Uma mulher sobrevivente do sofrimento. Quando posso, vou a casa dela fazer-lhe uma visita. E foi o que aconteceu hoje, fui a casa dela, levei-lhe algumas coisas que sei que lhe fazem muita falta e ela deliciou-se com a minha companhia e eu com a dela. Como não quer estar nem num Centro de Dia nem num Lar (neste último quem quer???), passa os dias dela na sua modesta casa, sentada no sofá a olhar pela janela, uma vez que deixou de poder andar e tem o braço direito paralisado. Sinto-me tão impotente perante estes quadros. Mas sei, que pelo menos, quando lá vou a faço sorrir e isso deixa-me feliz e com vontade de lá voltar, sempre.
Gosto muito da tia M, sem dúvida uma mulher valente e corajosa a quem a vida nunca ajudou.

7 comentários:

Tixa disse...

Bem até fiquei comovida, acredita já existem poucas pessoas como tu que dedicam o seu pouco tempo a fazerem os outros felizes.
E quem é assim tb merece ser feliz.
Um bj enorme

Camy disse...

É sempre bom poder dar alguns momentos felizes aqueles que amamos.
Já não tantas pessoas como tu, o que é uma pena.

Beijos camy

Bia disse...

Eu fiquei emocionada, és uma pessoa linda! dar amor e carinho a quem precisa, era o que todos deviamos fazer, ainda bem que há pessoa como tu.
Jinhos

Norita disse...

A vida é muito injusta por vezes.
És uma Mulher Linda.

Beijinhos grandes

Selma disse...

Muito lindo o teu gesto!
Parabéns =)
Grande Beijo.

Ruby disse...

elas agradecem estes pequenos gestos, pois a solidão que eles sentem deve ser muito grande. só é pena é que quase todos nós nos esquecemos destes pequenos gestos, que por vezes fazem uma pessoa muito feliz.
A minha avó criou 6 filhos sozinha, tem 83 anos, e ainda vive sozinha, e cada vez que la vamos é uma felicidade que só visto. Este domingo vou-he fazer uma surpresa, apesar de ser avó, foi uma grande Mae.

bjs

Mary disse...

É a tão falada Solidão na 3ª idade... que está camuflada mas existe... e só todos estendessem a mão deves em quando depressa acabávamos com ela.
Bjs