21 de julho de 2010

Tenho o coração...

...muito pequenino...
Hoje estive com uma amiga que adoro. Foi uma pessoa que se defrontou com a infertilidade, logo, fala a minha língua.
Para o primeiro filho, teve de lutar muito com tratamentos de procriação medicamente assistida. Do segundo, pensando que não conseguia engravidar, aconteceu naturalmente.
Depois de tantos anos de luta, a vida compensou-a.
Mas, a vida nunca é o que queremos ou idealizamos...está actualmente no processo de divórcio.
Fiquei com um aperto no coração, porque gosto mesmo desta minha amiga.
Fiquei boquiaberta...como foi possível um casal, junto há 11 anos (ou mais) ter tido força para lutar por um filho e depois se separa?
Tanto quanto percebi, este homem transformou-se num outro, desde o nascimento do 1º filho...sinceramente não consigo entender...como pode ser possível uma pessoa tornar-se má com a chegada de um filho?????
Ultimamente tenho assistido a casos semelhantes que me deixam apática e sem saber o que pensar...
Custou-me imenso saber que ela está a sofrer e muito...que tem dois filhos para criar, provavelmente sozinha...
Ás vezes penso o que um filho trará para a minha/nossa vida...
Uma vez mais, a minha escala de valores teve de se ajustar...

11 comentários:

Patricia disse...

(In)felizmente (porque há casos e casos) o divórcio tem vindo a aumentar de forma considerável... no meu trabalho, desde o início do ano que já se divorciaram mais de 7 pessoas...

Maggie disse...

sabes Marta, ás vezes o problema é que o que idealizamos não se concretiza...
E ser Mãe é fantástico mas não resolve os outros problemas da nossa vida!

Tudo de bom para ti
Maggie

Barriguita disse...

muitas vezes digo, desde que tive o Pedro, que um filho não vem unir nem arranjar nada, pelo contrário. conheço casos em que o nascimento de um filho só afastou (ainda) mais o casal. muitos homens não estão preparados para as mudanças, para a responsabilidade que é ter um filho.

custa saber que uma amiga irá ficar sozinha, com dois filhos. é claro que repensamos toda a nossa vida, porque somos inteligentes e percebemos que o mesmo nos pode acontecer a nós. mas acima de tudo, há que acreditar no amor e na pessoa que temos ao nosso lado.

bjinhos

Sem Desistir disse...

É uma triste realidade, que sabemos acontecer toda a hora, mas, quando acontece com alguém que nos é querido, não conseguimos ficar indiferentes...

Paula F M disse...

Porque não ser este o próximo tema do Grupo?
Com dois filhos não é fácil estar sozinha mas se ela for mais feliz já vale a pena. :)

Sem Desistir disse...

É sem dúvida um bom tema, no entanto, não me consigo rever numa situação destas Paulinha...e custa-me imenso saber que o futuro desta mulher não será certamente fácil.

stardust disse...

Sem dúvida um tema muito actual. De facto nenhum casal fica igual depois do nascimento de um filho, por vários factores. É de facto uma mudança brutal que um ser pequenino exerce na vida das pessoas.

Depois, surgem as noites mal dormidas, o cansaço acumulado, o ter de abdicar do "eu" em função do "ele/s", é o ter muitas vezes de abdicar de coisas para nós para lhas darmos a eles; É deixar de ter tempo para nós para ter sempre alguma trefa para executar para eles.

Se há pessoas que não aguentam o embate? Sem dúvida! E muitas! Os homens sobretudo, porque me desculpem, mas ser mãe é ser mãe o pai não sente pelos filhos o mesmo que nós sentimos, nunca sentirá porque fomos nós que lhe demos a vida e a nossa relação por eles vais ser sempre umbilical.

Claro que há mães e mães e pais e pais, mas na generalidade o que se passa é isso.

O pior vem a seguir, porque a maior parte dos "pais" que conheço divorciados, pura e simplesmente não quer saber dos filhos. Vão vê-los de 15 em 15 dias (quando vão), pagam pensões de miséria (quando pagam)e quem paga são os pobres infelizes que não pediram a ninguém para nascerem e foram até desejados e esperados...

Mas, a vida é assim mesmo... Há que dar força à tua amiga...

Beijocas

Bárbara - Sol e Lua disse...

Infelizmente conheço casos assim mas algumas amigas vivem o terror de nãos e separarem e de viverem vidas de gritos e discussões á frente dos filhos que me parece bem pior que enfrentar a triste decisão de uma separação...
Ajuda, insiste em estar presente na vida dessa tua amiga pois vai precisar de apoio pois ha coisas como os fins de tarde, os inicios d enoites que sozinha com 2 filhos são bem dificie,s falo-te por saber pois quando o miguel não está é bem dificil.....um beijinho

Lina disse...

Ola. Ter a Matilde é sem duvida a melhor "coisa" me aconteceu em toda a minha vida, no entanto vamos ser realistas e deixar de viver no mundo cor de rosa... Muda tudo. Deixa de haver tanto tempo para o casal, há um pouco mais de stress, ora pq o bebe chora, ora pq n come, ora pq não dorme... A tua amiga que tenha coragem de enfrentar uma nova vida que não vai ser sozinha, vai ser com os filhotes que concerteza ama acima de tudo!
Beijinhos

Vânia e Mariana disse...

Sem duvida que é complicado, mas se não era feliz com ele é o melhor que tem a fazer....
Ouvem-se muitos casos assim...Ter um filho muda um pouco a vida ds pessoas, e ha quem não esteja preparado...ou sinta sciumes dos filhos...Enfim...Mas graças a Deus é uma minoria, não podes pensar nisso.

Beijinhos,

Anónimo disse...

Boa tarde.
Sou jornalista da Sic e gostaria muito de chegar à fala com essa amiga de quem fala, no sentido de falar um pouco melhor com ela.
Acha que estaria disponível?
Pode falar com ela nesse sentido?
Sem outro assunto de momento,
Os melhores cumprimentos.
Rita Louro
ritallouro@gmail.com