30 de julho de 2009

Por cá ando:)

Esta semana tive consulta com o Prof. Pedro Xavier. Esta consulta tinha por base saber se se justifica o DGPI no meu caso. Continua da opinião que não o devo fazer.
Quando o DGPI surgiu, os médicos acharam que a maioria dos problemas de infertilidade, estariam resolvidos. Pois bem, o tempo foi-se passando e os estudos, actualmente, comprovam exactamente o contrário, ou seja, a percentagem de sucesso, utilizando a técnica, é igual ( senão menor), à taxa obtida em ttts sem o uso deste procedimento.
O que na realidade acontece, é que a informação dada pelo DGPI pode não ser a mais correcta, ou seja, um embrião ao ser biopsado, é-lhe retirada (s) célula(s) para análise. Essas mesmas células, podem dar a informação que o embrião não é saudável, o que pode não ser de todo verdade.
Para se fazer DGPI é necessário ter embriões com um mínimo de 6 células. Nessas 6 células, pode ser retirada uma para análise e o DGPI determinar que se trata de um embrião anormal, mas isso não invalida, que as restantes 5 não sejam normais. Nestes casos e juntamente com a preciosa ajuda da nossa Mãe Natureza, a célula anormal, era quase que "eliminada" pelas normais, não originando nenhuma aberração genética. Nós, enquanto embriões, se tivessemos sido alvo do DGPI, poderíamos, muito provavelmente, ter ido parar ao lote dos "anormais"...
Por outras palavras, e os estudos já o comprovam, utilizando o DGPI, pode-se descartar embriões saudáveis.
Outro problema que ele verificou (e deu muita importância) foi a presença de mutação A1298C em ambos os genes que codificam a enzima MTHFR, tratando-se de um homozigoto para a mutação A1298C. Para além disto, o R. vai na próxima semana fazer novo espermograma, desta vez com estudo do DNA.
Por recomendação, fui ao hematologista para saber sobre a Mutação. O que me disse foi que, essa alteração na MTHFR isolada, não constituí perigo, basta tão somente tomar ácido fólico diariamente. Mas, contudo, vou ter de fazer umas outras análises para que este médico possa dizer o que efectivamente se passa com o meu organismo. No entanto, do cartia e da heparina não me devo escapar. Ele diz que essa medicação irá a judar e muito a implantação dos embriões.
Como sabem, estou inscrita no HSJ para fazer FIV, o que somente ocorrerá em Março/2010.
Como tinha um ano de espera, tentei a minha sorte na IVI. Fiz lá uma septologia, uma FIV e uma TEC, tendo ainda 2 congelados para nova TEC. Gastei imenso dinheiro na clínica e nas deslocações. Mas, sinceramente, não me arrependo, nem mesmo pelos resultados negativos.
Mas, sempre concordei em fazer ttts no público. Logo, não posso descartar esta oportunidade, mesmo sabendo que não me irão fazer o DGPI.
Como só consigo agir por feelings, nesta fase a minha consciência diz-me para continuar com a minha dieta (que só me irá ajudar numa futura gravidez) e aguardar pelo ttt de Março, uma vez que já em Dezembro vou ter de administrar o Lucrin.
Quanto à TEC que poderia fazer já no próximo ciclo, terá de aguardar. Profissionalmente, tive de faltar imensas vezes, estive de baixa imensas vezes...não é fácil nos tempos que correm...
Prefiro dar um passo de cada vez.
Não são certamente decisões fáceis de se tomar, mas, na vida temos de fazer opções e a minha foi esta.

11 comentários:

C.F. disse...

Quando decidimos de acordo com a nossa consciência, decidimos bem seguramente.
Custa-me tanto entender certas dificuldades que a vida nos coloca pela frente... mas a única opção é arregaçar mangas e seguir em frente.
Desejo que o futuro te reserve muitas alegrias ;-)
Beijinhos.

Pensamentos e Cª disse...

Martinha,

Isso q ele contou sobre o DGPI faz algum sentido. Mas continuo a lembrar-me do caso da Ana Matos... Foi só com o DGPI q descobriram o problema e q ela conseguiu a gravidez da Cat!
Quando à mutação, não sei ao certo quais são as minhas, mas sei q são em heterozigotia. Ainda assim, o tratamento é o mesmo: ácido fólico, heparina e cártia. Tb ando nas consultas de hematologia para descobrir quais as implicações da mutação mais a fundo.
Sei q não é fácil este impasse, mas tb acho q mais vale um estudo completo do casal (coisa q raramente se faz) e só depois avançar para tratamentos mais específicos.

Um beijo grande
Alexandra

bolinha de sabão disse...

Já tens os próximos tempos todos programados.
E, por outro lado, estás perfeitamente consciente dos passos que tens dado e dos passos que ainda estão pra vir.
Sinto-te, apesar de tudo, muito serena e isso é muito importante!
Beijinhos sempre doces***

Lina disse...

Ola.
Parece-me muito complicada toda essa historia, mas tb me parece que tens isso mais ou menos controlado.
Apesar de todas as dificuldades tb sabes que há coisas sem as quais nao conseguimos sobreviver, infelizmente e uma delas é o trabalho.
Vai correr tudo bem, tem calma.

Uma beijoka

Maruja disse...

Amiga, achei essas informações sobre o DGPI extremamente importantes. Eu, se não tivesse conseguido engravidar neste tratamento, tinha ideia de tentar fazê-lo num próximo. Mas já estou a ver que não é uma coisa tão esclarecedora como eu pensava, antes pelo contrário.

Aplaudo as tuas dificeis, mas sensatas, decisões de continuar com a dieta e esperar por um próximo tratamento no serviço público em 2010.

Um beijinho grande!

neusa disse...

Amiga sinceramente nao sei o que te dizer a vida prega-nos cada partida espero que te va trazer grandes alegrias beijos.....

Lita disse...

Amiga
em primeiro lugar tenho que dizer que lamento muito o desfecho do teu ttt. Nós que já passasmos várias vezes pelo mesmo, temos sempre esperança num positivo!

Quanto ao facto de o Cartia e a Heparina ajudarem muito na implatação, concordo plenamente! Também eu tenho duas mutações genéticas ao nível do gene MTHFR e no gene SERPINE1 e, só depois de detectadas e tratadas com Cartia e Lovenox é que consegui engravidar!
Continuo a achar que muitos casais não são devidamente estudados antes dos ttt e, por isso, tantos ttt falham, sem razões aparentes.
Na 4.ª ICSI que fizemos, depois de ter engravidado e abortado às 6 semanas, insisti para que me estudassem pq precisava de respostas para partir para a 5.ª ICSI. Se não o tivesse feito, ainda hoje não saberia que tenho essas mutações e ainda hoje não teria conseguido engravidar.

Desejo-vos muita sorte e, que esses achados sejam o motivo para o insucessos que têm sofrido pq assim é possível tratar e conseguir a gravidez que tanto desejas.

Um beijo grande
Lita

EstrelinhadaEdite disse...

oi!!! QUERO AGRADECER SEMPRE A FORÇA QUE DÁS, E RETRIBUIR DA MESMA FORMA. CONTINUA A TUA LUTA! EU TIVE 6 ANOS EM LUTA, E FOI NA IVI QUE CONSEGUI REALIZAR O MEU SONHO!DESDE QUE TE SINTAS BEM APROVEITA A OPORTUNIDADE DO PUPLICO,EU GOSTEI DO HSM MAS INFELIZMENTE NÃO CONSEGUIRAM RESOLVER O MEU CASO, E RECORRI À IVI, E AGORA TENHO DOIS MENINOS A CHEGAR!
vAIS CONSEGUIR! ACREDITA!

BEIJINHOSSSSSSS

Susana Pina disse...

Amiga, já te disse e continuo a dizer que te apoio em qualquer decisão que tomes e esta foi mais uma delas. Compreendo perfeitamente que precises dar este tempo até Março, tanto profissionalmente como emocionalmente é necessário uma pausa de vez em quando.
Quanto aos riscos do DGPI, é verdade tudo o que referes, mas sempre é uma tecnica diferente, e nós nunca sabemos porque é que os nossos embriões não implantam e talvez esta tecnica nos traga as respostas que tanto precisamos...
acredito que a vida ainda te vai reservar um filho lindo para amares e cuidares com todo esse amor que tens dentro de ti.
Bjs doces
susana

Lina disse...

Ola amiga.
Deixei um desafio para ti no meu blog. Passa por lá.
Beijinhos.

Raio de Sol disse...

sempre que nos decidimos em consciencia, decidimos bem... tenho a certeza que o fizeste...

beijo cheio de força...